Comparação Joomla X WordPress

Muito interessante o post de Klaus Peter Laube sobre a sua experiência no uso do Joomla e do WordPress como ferramentas para publicar conteúdo na Web. No artigo, ele relata porque prefere o WP como solução de publicação, enfatizando a simplicidade da ferramenta. Por outro lado, a complexidade na customização dos componentes do Joomla e os problemas de segurança ocorridos no passado fazem dessa solução um opção para sites mais complexos.

Como eu utilizo as duas ferramentas, tenho uma opinião parecida com a de Klaus:

  • O Joomla foi feito para administrar o conteúdo de portais de tamanho médio, com uma curva de aprendizado razoável para customizar um site completo sem utilizar os famosos templates criados pela comunidade. O que me atrai mais nessa solução é a capacidade de agregar dezenas de componentes customizáveis desenvolvidos por seus milhares de desenvolvedores, além é claro, de uma farta documentação disponível (encontrei pelo 11 livros sobre Joomla na Oreilly).
  • O WP é uma ferramenta de blog…mas com centenas de plugins que podem ser utilizados para gerenciar conteúdo perfeitamente. Posso dizer que se o projeto de seu site comportar um processo iterativo e incremental, onde as versões possam ser entregues paulatinamente para os seus clientes, o WP é uma solução sem risco. Dá para ir agregando funcionalidade ao site com os plugins criados pela comunidade.

Apesar de não ser muito fã de PHP, utilizo essas duas ferramentas para gerenciar o conteúdo do meu blog, além de utilizá-la como ferramenta de LMS através do Moodle. A facilidade de criação, customização e publicação de conteúdo dessas ferramentas explicam a sua enorme popularidade entre os web designers. Por outro lado, penso que soluções mais robustas, do tipo “mission-critical” devam ter uma plataforma com o mesmo grau de robustez e confiabilidade. Nos últimos meses venho estudando várias soluções de CMS para a plataforma Java. Ao final, depois de testar mais de 15 soluções open-source, minhas escolhas ficaram restritas à duas ferramentas:

  • Jboss Portal: Talvez a ferramenta de CMS mais completa para a plataforma Java, conta com o apoio de uma empresa líder no mercado de software open source (Red Hat) e com uma comunidade ativa em torno dela. Possui farta documentação e está em constante atualização por parte de seus desenvolvedores. Possui uma vasta biblioteca de portlets e integração com as outras soluções Jboss (Jboss AS, Seam, Hibernate, jBPM, etc.). Um ponto positivo da solução é a disponibilidade de um plugin para o Eclipse, contendo todas as ferramentas para o desenvolvimentos de portlets nessa IDE. Minha grande crítica para o Jboss Portal é em relação aos requisitos para rodar a plataforma como um todo. Como ela está otimizada para utilizar o Jboss AS como servidor de aplicações nativo, a infraestrutura necessária requer muita memória do servidor e algum grau de tunning no ambiente para rodar sem gargalos.
  • Liferay Portal: Na minha opinião, a mais flexível das ferramentas de portais construídas para a plataforma Java. Da mesma forma que o Jboss Portal, conta com o suporte de uma empresa no seu desenvolvimento, que disponibiliza uma versão open source para a comunidade. Possui uma vasta gama de portlets desenvolvidos pela comunidade e permite a utilização de vários servidores de aplicações para rodar os projetos. O ponto positivo da ferramenta é a sua facilidade de instalação. É só baixar o pacote com o AS escolhido, descompactá-lo em uma pasta e rodar o script de inicialização. Por ser uma ferramenta mais robusta que os seus concorrentes escritos em PHP, o Liferay requer um servidor um pouco mais parrudo, sob o risco de enfrentar algum memory leak ao longo do caminho.

Apesar das duas soluções para o mundo Java possuírem portlets para o gerenciamento de blogs, confesso que nada é comparável à flexibilidade e a facilidade de uso do WordPress. Esse é um campo onde as soluções Java precisarão de algum tempo para produzir uma ferramenta que concorra com o bom e velho WP.