Programando com o Google App Engine

Uma das principais reclamações de meus alunos nas disciplinas de programação da Universo e Maurício de Nassau é em relação à configuração de seus projetos web nos laboratórios das instituições. Para quem não tem notebook e depende das estações de trabalho é a mesma novela a cada aula: reconfigura o projeto para atualizar as urls’s das bibliotecas, do Tomcat, do banco, e por aí vai.

A solução mais adequada para o problema seria a utilização de um repositório de versões (CVS ou Subversion) contendo as últimas versões dos projetos, ao invés da tradicional cópia nos pendrives. Mas essa alternativa requer a disponibilidade de um servidor e a sua configuração a cada semestre para 40 ou mais alunos, além de depender da liberação de portas por conta da política de segurança de cada instituição.

Desde abril,  podemos contar com mais uma alternativa para hospedar as nossas aplicações Java: o Google App Engine. Essa nova iniciativa do Google aproveita os recursos de computação em nuvem da empresa.  Nesse ambiente, os programadores poderão contar com os recursos de uma máquina virtual Java, ambiente de deployment das aplicações e acesso aos serviços mais comuns de aplicação web, como persistência, e-mail entre outros. Os caras do Google também implementaram um plugin para o Eclipse que permite criar um projeto e fazer o deploy das aplicações diretamente nos servidores da nuvem.

Para o semestre 2009.2 eu irei preparar alguns slides sobre como usar a infraestrutura do Google, como um plano B para as estações de trabalho dos laboratórios.

Para saber mais sobre o Google App Engine, dê uma olhada nos endereços abaixo: